Introdução ao Fundador


por Richard L. Rubenstein
Professor de Religião
Universidade do Estado da Flórida
Tallahassee, USA

Tradução: Marcos Alonso

 

Saudações e boas vindas aos nossos honrados convidados de todas as partes do mundo! Tenho o privilégio de apresentar o fundador da ICUS, o Reverendo Sun Myung Moon, aos participantes e observadores da Décima ICUS, a primeira a ser realizada em sua terra natal. Eu sou por vocação um teólogo e um historiador da religião. Como vocês entenderão, minha vocação me dá uma razão especial para um grande interesse no fundador e sua igreja. Espero, portanto, que vocês me permitam compartilhar alguns dos meus pensamentos referentes a este homem.

 

Como estudiosos da sociedade entenderam há muito tempo, é impossível para os seres humanos transformarem suas ferramentas sem mudar a forma que eles educam seus jovens, a forma que vivem e trabalham juntos, e as formas nas quais encontram significado em sua existência. Além disso, em nossa própria época, houve apenas uma revolução realmente permanente: não me refiro às revoluções políticas de direita ou de esquerda, mas à revolução em âmbito mundial de ciência e tecnologia, com todas as surpreendentes transformações sociais e culturais que essa revolução trouxe. Esta reunião em si mesma se tornou possível através dessa revolução. E, não é por acaso que esta reunião á patrocinada por uma instituição religiosa, a Igreja de Unificação, que tem se destacado por sua preocupação pelas consequências humanas da revolução tecnológica, pois os grandes repositórios do significado da humanidade através do tempo, tanto da estabilidade quanto da descontinuidade, tem sido historicamente as tradições religiosas.

 

Além disso, a Igreja de Unificação é uma nova religião, algo que pode surpreender e perturbar muitos dos estudiosos e cientistas treinados pelo ocidente. Há no ocidente uma certa dualidade de consciência que pode conceder honra à figuras religiosamente inspiradas somente enquanto elas permanecem seguramente separadas de nós por longos períodos de tempo. Entretanto, quando somos confrontados por pessoas de intensa e autêntica inspiração religiosa no presente, tendemos a utilizar categorias psicológicas e até mesmo éticas para reduzir o significado, ou até mesmo negar sua inspiração. Temos repúdio pela ordem e previsibilidade, ao menos em assuntos religiosos. Ficamos assustados quando confrontamos com alguém cujo espírito perturba a ordem que almejamos. Não obstante, nosso repúdio pela ordem está destinado a se provar ilusório se não levarmos a sério e nos atentarmos aos líderes religiosos inspirados de nossa época, pois, como temos notado, não vivemos mais em um mundo ordenado e seguro, mas em um tempo de descontinuidade e revolução. Além disso, é interessante notar que os dois países asiáticos que têm sido mais afetados pela revolução tecnológica, Japão e Coreia, têm testemunhado uma extraordinária proliferação de novas religiões em resposta à crise da modenização e da tecnologia. Felizmente, o espírito de radical secularização não tem corroído as origens da inspiração religiosa na Ásia, como tem ocorrido no ocidente.

 

É de crucial importância que entendamos que o nosso fundador, o Reverendo Sun Myung Moon, veio de uma terra na qual as fontes de inspirações religiosas não secaram. Contudo, a inspiração religiosa por si mesma não é suficiente. O que a nossa época requer são homens e mulheres de genuína visão religiosa, e até mesmo ousados, que sejam capazes de inspirar e energizar os outros, e que, ao mesmo tempo, sejam capazes de confrontar construtivamente e com grande alcance o significado mundial de nossa revolução permanente.

 

É nesta perspectiva que vejo o Reverendo Moon como um líder religioso de significado proeminente. Devo confessar que muitos em minha geração, por exemplo, estudiosos dos últimos grandes teólogos do ocidente, Karl Barth e Paul Johannes Tillich, aspiravam ser o tipo de líderes religiosos que a civilização tecnológica exigia, como estudiosos treinados nos métodos do racionalismo ocidental, o melhor que conseguimos realizar foi nos tornarmos intérpretes da inspiração de outros homens. Nunca pudemos nos tornar o que o Reverendo Moon é, um homem de genuína inspiração capaz de infundir os outros com sua inspiração.

 

Com seus dons únicos, ele reuniu as dimensões privada e pública da vida e preocupação religiosa, enquanto tem utilizado de forma audaz e imaginativa o grande poder da tecnologia para servir como uma força para curar as rupturas no indivíduo e no corpo público criadas por essa revolução. Ao invés de se retirar na história e na tradição de sua nação diante da revolução tecnológica, ele tem buscado utilizar as histórias, tradições e experiências de todos os povos de oriente e ocidente, para promover uma nova visão da unidade espiritual da humanidade. Isto também está de acordo com a visão do nosso tempo, pois tecnologia está destinada certamente a unificar a humanidade de uma forma ou de outra; seja pela aniquilação total do oposto ou pela realização de uma unidade mundial baseada em uma nova base de valores e inspiração compartilhados. Essa base somente pode ser religiosa, e é para esse fim que nosso fundador se empenhou.

 

Enquanto nos reunimos como convidados do nosso fundador em sua terra natal para ouvir sua mensagem, é minha grande honra apresentá-lo para vocês, o mais honrado e reverenciado mestre, o Reverendo Sun Myung Moon.

 

9 de Novembro de 1981
Sejong Cultural Center
Seoul, Coreia