VIII. Deus Age na História

Idade da Ideologia

Sendo que a era cristã repete o padrão essencial da história de salvação do Velho Testamento, deve haver algum significado especial para estes últimos quatro séculos da era moderna. Nosso tempo apenas retrata o esgotamento espiritual da civilização ocidental, sua ruptura moral e o eclipse de sua consciência, como pensa o rabino Berkovits? 11 Ou é possível que todo o mundo esteja se movendo na direção de uma nova era de esperança, como predisse Moltmann? De acordo com o Princípio Divino, devemos examinar as implicações messiânicas de nosso tempo. Se parece que o homem contemporâneo habita no deserto, isso pode estar no caminho da terra da promessa, como os hebreus descobriram.

Anteriormente mencionamos como a história produz regularmente movimentos gêmeos de alguma forma comparáveis com os filhos de Adão, Caim e Abel. Isso significa que a história opera em termos de uma lei básica de polaridade. Portanto, a época moderna dá nascimento a uma série de várias tendências relacionadas, contudo, contrastantes:

a) A Renascença e a Reforma Religiosa
b) O Iluminismo e o Pietismo
c) As Revoluções Anglo-Americana e Francesa
d) Industrialismo e Idealismo Social
e) Nacionalismo e Imperialismo

Leia mais...

 

Desastres e Reconstrução Globais

Para aqueles que cresceram antes de 1914, a Primeira Guerra Mundial significou o colapso de tudo o que eles mais queriam. Tillich relatou uma vez que a guerra significava o fim da era Protestante. Barth declarou que ele perdeu toda a fé no Cristianismo liberal de seus professores quando leu nos jornais que os mais proeminentes teólogos Protestantes na Alemanha deram entusiástico apoio às políticas militares do Kaiser Wilhelm II. O Papa Pio X, dizia-se, morreu de infarto do coração quando compreendeu que a Europa tinha mergulhado na guerra.

O Arquiduque Ferdinando, herdeiro do trono de Hasburgo, foi assassinado em 28 de junho de 1914. Quando a Áustria-Hungria declarou guerra à Sérvia, a Sérvia chamou a Rússia Czarista para ajudar. A Rússia, França, Grã-Bretanha e Itália se mobilizaram para combater os Poderes Centrais: Áustria, Alemanha e o Império Otomano encabeçado pelo sultão da Turquia. Sendo que a maioria dos grandes poderes tinham colônias ultramarinas na Ásia e África, a luta estourou em escala mundial. Então, quando parecia que os Aliados poderiam perder a Guerra, os Estados Unidos interviram.

Leia mais...

 

Página 2 de 2